25 dezembro 2013

Não Sou Este Tipo de Garota - Siobhan Vivian

Não Sou Este Tipo de GarotaNão Sou Este Tipo de Garota  - Siobhan Vivian
284 páginas - Editora Nova Conceito Jovem
Avaliação: 5/5


Sinopse: "Perversa ou inofensiva? Confiável ou hipócrita? Controlada ou insensata? A vida é sobre suas decisões e escolhas, e Natalie Sterling se orgulha de sempre fazer as melhores. Ela ignora os caras populares e babacas da escola, sempre ganha medalhas de honra e está prestes a ser a primeira estudante jovem a ser presidente do conselho estudantil em anos. Se apenas todas as outras garotas fossem tão sensíveis e fortes. Como o grupo de novatas que querem ser brinquedos dos jogadores de futebol. Ou sua melhor amiga, que tomou uma decisão idiota que quase arruinou sua vida. Mas ser sensível e forte não é fácil. Não quando uma brincadeira quase a faz ser expulsa. Não quando seus conselhos dóem mais do que ajudam. Não quando um cara que ela já deu um fora se torna o cara que ela não consegue parar de pensar. A linha entre o certo e o errado foi distorcida, e cruzá-la poderá resultar em um desastre… ou se tornar a melhor escolha que ela já imaginou fazer". 





Natalie certamente é uma garota à frente de seu tempo. Apesar da pouca idade, tem seus objetivos de vida traçados e plena convicção de que escolherá sua faculdade de destino, e que será aceita em uma das melhores do país. Além de tudo, tem visão crítica -até demais- sobre as coisas e defende ideologias por ela muito bem estudadas.

O ensino médio para ela é relativamente tranquilo, não se envolve em festas ou demais "perdas de tempo" da juventude, afinal conseguir nota máxima no vestibular requer alguns esforços. Ela não quer, de forma alguma, se destacar no ambiente escolar por popularidade, beleza ou fofoca; Quer que todas a conheçam pelo brilhante desempenho no Comitê Estudantil. 
Ela passou os últimos dois anos defendendo e tentando levantar a moral da melhor amiga, Autumn, que teve maus momentos devido ao ex-namorado. A amiga, ao contrário de Natalie, adorava festas e teve que abdicar da vida social para poder ter paz dentro do colégio.

Em seu último ano, Natalie é pega de surpresa ao encontrar a garotinha de quem ela cuidava há três anos atrás já no ensino médio e totalmente diferente. No auge de seus 14 anos, se comportava da forma que Natalie mais repudiava, o que a deixou preocupada e a partir dali assume novamente o papel de babá da garota Spencer.

A vida de Natalie jamais seria a mesma. Coisas inacreditáveis passam a acontecer, de repente ela se vê no lugar das garotas que tanto criticava. Ela passa a sentir na pele tudo aquilo que via acontecer com os outros e pode sentir o quão ruim e cruéis podem ser as pessoas, mas principalmente, que o julgamento é o pior de todos os pecados.

Natalie tinha orgulho em "não ser como as outras", mas logo ela que adorava destilar na cara dos garotos que  "não era daquele tipo" acabou sem saber de que tipo era. Logo ela que era tão certa de si, percebeu que não sabia o tipo de garota que vinha sendo e nem a que queria ser. Percebeu, então, que viver longe das festas e cultivar um ódio mortal pelos meninos do time não fazia dela melhor que ninguém. 

Eu, sinceramente, não sei o que falar sobre esse livro. Comecei a ler achando que seria aquele clichê de high school americano e fui totalmente surpreendida. A história vai além disso, a autora consegue deixar claro seus pontos de vista e critica fortemente a cultura do machismo imposta no ambiente escolar, a pressão que as garotas sofrem e também os julgamentos que fazemos dos outros e de nós mesmos. Além de citar Simone de Beauvoir e Amélia Eahart.
A história é escrita de forma inteligente e contrapõe as atitudes dos personagens o tempo inteiro, não colocando-os como vítimas ou vilões, mas buscando um meio termo entre todos os acontecimentos. E isso não está totalmente claro na narrativa, é preciso que o leitor preste um pouco mais de atenção quanto aos detalhes, principalmente quanto à mensagem que a autora pretende passar.

No caso das duas personagens, Natalie e Spencer, enxergo uma postura confusa nas duas. Natalie, que embora procure estudar o assunto e orientar outras meninas, propaga um discurso errado e incoerente, porque enquanto se diz "feminista" reprime as atitudes das amigas e faz com que tenham vergonha delas mesmas. Spencer, por outro lado, entende que tem poder sobre o próprio corpo, porém entende isso de forma errada e leva para outro lado. 

Mas, o livro procurar mostrar que os erros e acertos da vida são válidos, pois nos ensinam e nos ajudam a amadurecer. E que julgar os outros na tentativa falha dos nos sentirmos melhor é a pior das atitudes. Com certeza, é uma leitura que eu recomendo a todos e que traz grandes pontos de reflexão, que eu considero altamente importantes e necessários. 

P.S: Me desculpem pela ausência aqui, final de semestre é terrível.

Reações:

4 comentários:

  1. Oi Fran!
    Saudades de ti menina!
    Esse livro me chamou a atenção, pensei que era mais um clichê, mas como você disse que vai além de dramas adolescentes me deu vontade de ler.
    Um feliz natal atrasadinho pra ti kkkkk
    beijokas
    http://www.letrasdanana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê sim, me surpreendeu totalmente!

      Feliz Natal atrasado pra você também :)

      Excluir
  2. Fran minha linda, senti sua falta rsrs
    Li esse livro algumas semanas atrás e achei um bom Livro. Concordo com você quando você disse: " o livro procurar mostrar que os erros e acertos da vida são válidos, pois nos ensinam e nos ajudam a amadurecer. E que julgar os outros na tentativa falha dos nos sentirmos melhor é a pior das atitudes. "
    Adorei flor, beijinhos e bem-vinda de volta ;)
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taty, obrigada! hahaha
      Também senti falta de vocês :)

      Verdade, apesar da personagem não amadurecer muito, essa mensagem se sobressai ;)

      Excluir